sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Encontro de idéias com Evandro Teixeira

Ontem vi esta matéria no jornal: O fotojornalista Evandro Teixeira participa de debate no Espaço O Povo. Fotojornalismo me atrai desde tempos, sempre preferi as fotos "roubadas" das "montadas". Então hesitei entre ir ao shopping Via Sul (Fortaleza-ce) e ver Dado Villa-Lobos tocar e cantar ao vivo (e de graça!) ou ir até o jornal O Povo e assistir a palestra de um renomado fotojornalista (também de graça), ambos as 19hs. A hesitação foi curtinha... Preparei r$ 35,00 para comprar o livro e pedir o autógrafo. cheguei em casa um pouco antes das 18hs e fui ao supermercado com esposa e buscar filho no colégio, em casa mesmo cheguei as 19hs! Resolvi ir de ônibus para não ter que procurar vaga para estacionar (e ele passa perto de casa e na volta na porta), cheguei as 19hs20, claro já havia começado, estava passando um clip com fotos p&b do Evandro Teixeira com fundo musical "Para Não Dizer Que Não Falei de Flores" do Geraldo Vandrão, gosto muita da versão do Charlie Brown Jr. Depois uma reportagem passada num jornal da Globo, onde fala que Carlos Drummond de Andrade fez uma poesia em homenagem à Evandro intitulada: DIANTE DAS FOTOS DE EVANDRO TEIXEIRA.Ouve debate de algumas fotos com Silas de Paula e experiências contadas por Evandro teixeira, apresentação foi de Lana Soares.Acabou lá pelas 20hs30, então fui para fila comprar meu livro e descobri que a moça que estava na minha frente adquiriu o último que havia à venda naquela hora!! Fiquei desorientado, e fui tomar um refrigerante no coquetel enquanto os sortudos esperavam a vez para ganhar um autógrafo. Então decidi enfrentar a fila para pelo menos falar com ele, e lembrei que a página do jornal estava no meu bolso, sem autógrafo eu não sairia mais. Chegando minha vez, coração batendo à mil, expliquei o porquê de não ter o livro e pedir para assinar no jornal mesmo, ele nem sabia que havia saído uma nota no jornal, me perguntou se era para ele a folha, expliquei melhor e ele perguntou meu nome com a velha pergunta: "MarcUs" ou "MarcOs"?Olhei para e perguntei: "Posso apertar a mão que aperta o obturador" (achei que falei besteira), mas ele apertou e por minha surpresa me deu um abraço forte e carinhoso, todo mundo ganhou uma foto, eu não, não levei câmera alguma, meu celular sem flash... mas não vi ninguém ganhando abraço assim. Ele me agradeceu pelo carinho. "Obrigado, o senhor, por suas fotos", eu disse.Sai do Jornal feliz da vida, e no caminho encontro o senhor Silas de Paula, professor da UFC (a universidade, pessoal!) e comentei com ele duas fotos que geraram polêmica e criticamos a escolha de uma moça (que avisou depois de falar e quando Evandro perguntou se ela sabia qual lente o fotógrafo usou para "Signal", que não era fotógrafa, e é também aquela que comprou o último livro!!), nem Silas, nem eu, concordamos que a foto "Signal" merecia mais que a foto "O Abraço Final" ganhar o prêmio World Press Photo pois achamos ela, a "Signal", muito publicitária, lembramos até da Tim, pelo fato de estarem procurando rede num céu azul. Depois de um forte aperto de mão nos despedimos. E eu só consegui fotografar estes momentos, para mim muito bacana, com olhar. Assim como vários momentos de minha vida.  

 


P.S.: Evandro Teixeira falou que a lente era uma 17mm.